Zona .Net

Refatorando idéias, produzindo conhecimento.

Posts Tagged ‘Design Pattern

Repository Pattern

leave a comment »

O modelo de desenvolvimento DDD (Domain Driven Design) é hoje um dos mais prestigiados pela comunidade de desenvolvimento de software, sendo considerado, inclusive, uma maneira “mais OO” de se criar software, adicionando comportamento a objetos de domínio, provendo melhor testabilidade, manutenibilidade, etc. Além disso, um dos princípios do DDD é prover interfaces mais expressivas, com operações bem descritas pelos métodos que a executam.

No livro Domain Driven Design(a bíblia para muitos arquitetos e desenvolvedores), do Eric Evans, o pattern Repository integra a camada de domínio e é usado como uma ferramenta para selecionar objetos de domínio de acordo com um determinado critério.

Pela definição do Fowler, no livro PoEAA(Patterns of Enterprise Application Architecture), o Repository tem o seguinte papel:

Mediates between the domain and data mapping layers using a collection-like interface for accessing domain objects.

Traduzindo, o Repository tem o papel de mediador entre o domínio e as camadas de mapeamento de dados para permitir o acesso a objetos de domínio.

Ele complementa dizendo:

A system with a complex domain model often benefits from a layer, such as the one provided by Data Mapper, that isolates domain objects from details of the database access code. In such systems it can be worthwhile to build another layer of abstraction over the mapping layer where query construction code is concentrated. This becomes more important when there are a large number of domain classes or heavy querying. In these cases particularly, adding this layer helps minimize duplicate query logic.

Ou seja, a idéia é, no domínio,  abstrair o Data Mapper – responsável pela persistência dos dados, através do Repository, provendo uma linguagem declarativa para construção de queries.

Na prática, os frameworks ORM como NHibernate, Linq To Sql e Entity Framework, fazem o papel do Data Mapper e são eles que devem/podem ser abstraídos.

Na minha opinião, a grande sacada do Repository é fornecer uma linguagem declarativa para construção de queries, pois é ela quem dá ao domínio a liberdade de fazer a consulta que necessitar, sem alterar uma única linha de código do seu repositório. E é isso o que a maioria tem “esquecido” de incluir nas suas implementações.

Já vi implementações que, sob minha ótica, não tiram proveito do pattern, fazendo dele apenas um proxy para o seu respectivo DAO(ou outro pattern para acesso a dados), sob o argumento de que o Repository é uma forma mais expressiva por ter métodos do tipo repository.listarClientesVIP() encapsulando uma chamada a um método do DAO, como dao.consultar(StatusCliente.VIP).  Esse tipo de expressividade até um DAO pode ter e não acho que essa seja a idéia.

Se você observou bem, viu que deixei em aberto a possibilidade de abstração do framework ORM. Isso por que, como em todas as escolhas que fazemos, a escolha de um pattern tem seus tradeoffs. E, apesar de trazer muitos ganhos na abstração da infraestrutura de persistência de dados, a implementação da linguagem declarativa de query é muito custosa, pois requer a implementação de várias operações para composição do critério. Particularmente, faria essa implementação se percebesse a possibilidade de, no meio do projeto, precisar trocar o framework de persistência usado na aplicação. Caso contrário, usaria os mecanismos de construção de queries fornecidos pelo ORM, para assim tirar o máximo de proveito do framework.

Anúncios

Written by Hamon Vitorino

11 de agosto de 2009 at 4:52 am

Publicado em .NET, Design Pattern

Tagged with , ,